terça-feira, 15 de dezembro de 2015

OFICINA CEREBRAL DE FÉRIAS


VOLTAREMOS EM 2016, COM MUITA SAUDADES E NOVIDADES!

AS DEMAIS ATIVIDADES NA VISCONDE DO HERVAL, ACONTECEM NORMALMENTE :)

JOGO RÁPIDO EDIÇÃO 117 - ANO V NOVEMBRO DE 2015

Palavras Quebradas

O objetivo deste jogo é formar todas as palavras que foram quebradas. Para fazer isso você deve observar as dicas, pensar e usar as palavras quebradas, presentes nos botões da direita, para reconstruí-las.

É importante observar que as palavras não estão necessariamente quebradas de acordo com a sua divisão silábica.

Pensar nas respostas, faz as engrenagens cerebrais trabalharem e melhoram muito sua concentração e memória.

Este foi o último jogo rápido de 2015, voltaremos em 2016, com muitas saudades e novidades! 
Até lá!!!

JOGO RÁPIDO EDIÇÃO 116 - ANO V NOVEMBRO DE 2015

Isso Lembra

Nesse jogo você deve pensar no que cada um dos temas lembra e montar as hashtags usando as sílabas abaixo de cada tema.


Esse jogo é excelente para trabalhar atenção e raciocínio. ;)

JOGO RÁPIDO EDIÇÃO 115 - ANO V NOVEMBRO DE 2015

PALAVRAS CRUZADAS

terça-feira, 24 de novembro de 2015

JOGO RÁPIDO EDIÇÃO 114 - ANO V NOVEMBRO DE 2015

Muito interessante este jogo, que faz o cérebro associar 
DUAS DICAS à UMA PALAVRA

Escolhemos 30 palavras que começam com a letra V e demos duas dicas para ajudar você a encontrá-las.

Veja as respostas:


JOGO RÁPIDO EDIÇÃO 113 - ANO V NOVEMBRO DE 2015

Com a era tecnológica, vemos muitos erros na escrita e até mesmo na fala. O nosso cérebro vê tantas vezes a palavra errada e “acostuma” com elas, o que chamamos “vícios de linguagem”, os quais estamos tão acostumados a falar e ouvir que, muitas vezes nem percebemos que estão errados. Listamos palavras que muita gente confunde na hora de escrever, será que você sabe a forma correta? 

Colocamos algumas palavras para ver o que é certo ou errado:

No Lugar De Nós: Agente ou A Gente

Prazeiroso ou Prazeroso

Encima ou Em cima

Abençõe ou Abençoe

Manerar ou Maneirar

Meio-dia e meio ou Meio-dia e meia

Em Baixo ou Embaixo

A forma correta de escrita da palavra é embaixo, quando se tratando de um advérbio de lugar. Devemos utilizar o advérbio embaixo sempre que quisermos transmitir uma ideia de posição de inferioridade, ou seja, de algo que está em lugar inferior a outro: abaixo, debaixo, inferiormente. Pode significar também uma posição de inferioridade no sentido de alguém não possuir recursos e prestígio, estando acabado, arruinado, fracassado, por baixo.

Exemplos:
O gato está embaixo da mesa.
Olhando do décimo andar de um prédio tudo parece pequeno lá embaixo.

Não confundir!
A expressão em baixo, escrita de forma separada, existe, mas é usada apenas quando a palavra baixo assume a função de um adjetivo, caracterizando algo.

Exemplos:
Esta coluna está decorada em baixo relevo.
Continuarei falando em baixo tom de voz.
Beneficiente ou Beneficente

Houveram ou Houve 

Houve problemas. Houve mudanças. Houve feridos. Houve reclamações.

Paralisado ou Paralizado

Mendigo ou Mendingo

Seção ou Sessão

As duas formas estão corretas, mas devem ser usadas em situações diferentes. Seção É sinônima de divisão, subdivisão, parte, fracção, segmentação, repartição, departamento, setor, entre outras. Já Sessão é sinônima de reunião, assembleia, apresentação, espectáculo, consulta, entre outros. veja no exemplo:

Você quer ir comigo ao cinema ver o filme da sessão das dez horas?
A modelo está na sessão de fotografia.
No supermercado há a seção das frutas e dos legumes.
Não sei qual a minha seção eleitoral.


Advinhar ou Adivinhar

Mortadela ou Mortandela

A grama ou O grama 

A grama do quintal.

O grama de ouro custa R$1000,00.

Benvindo ou Bem Vindo

Kilo ou Quilo

Kilo é uma palavra aportuguesada
Gostava de comida por kilo.
O correto é: Gostava de comida por quilo. (A comida é vendida por quilo)
Outras palavras já aportuguesadas: batom, camicaze, chique, clipe, clube, críquete, cupom, estande, estresse, gangue, gim, golfe, grogue, gueixa, lorde, moletom, ringue, saquê, surfe, tíquete, turfe, xampu.

Viajem ou Viagem

Xuxu ou Chuchu

Reivindicar ou Reinvidicar

Menos ou menas

Comprimento ou Cumprimento 

A palavra comprimento se refere ao tamanho de alguém ou alguma coisa, indicando uma extensão longitudinal, vertical ou temporal. A palavra cumprimento se refere a uma saudação e elogio (do verbo cumprimentar) ou ao ato de concluir alguma obrigação ou tarefa (do verbo cumprir). Pode ser ainda a forma conjugada do verbo cumprimentar na 1.ª pessoa do singular do presente do indicativo: eu cumprimento.

Senão ou Se não 

As duas hipóteses existem na língua portuguesa e estão corretas. Seus significados são diferentes e podemos diferenciar situações em que devemos utilizar uma ou outra. A palavrasenão pode significar uma exceção, uma consequência negativa ou um problema. A sequência se não é usada com significado de caso não.

Senão é uma palavra formada através da seguinte junção: se + não.


Exemplos:
O aluno não fez nada senão bagunça. (a não ser)
Venha rápido, senão não chegaremos a tempo! (caso contrário)
Aquela minha amiga tem apenas um senão, é muito fofoqueira. (defeito)

Se não
é uma sequência formada pela conjunção se e pelo advérbio não. Utiliza-se normalmente como conjunção condicional ou integrante. Como conjunção condicional tem significado de caso não, quando não.

Exemplos:
Você fala como se não o conhecesse.
Se não conseguir entregar o projeto hoje, não se preocupe.


Denovo ou De novo

Cabelereiro ou Cabeleireiro

Aonde ou onde 

Ambos são advérbios para indicação de lugar.

Onde: Indica lugar em que algo ou alguém está, deve ser utilizado somente para substituir vocábulo que expressa a ideia de lugar. 
Ex.: Não sei onde fica a cidade de Araguari.

Aonde: Indica também lugar em que algo ou alguém está, porém quando o verbo que se relacionar com "onde" exigir a preposição “a”, deve-se agregar esta preposição, formando assim, o vocábulo "aonde". Expressa a ideia de destino, movimento, conforme exemplos a seguir: 

Ex.: Aonde você irá depois das visitas?

Para mim ou para eu

As duas hipóteses existem na língua portuguesa e estão corretas. Contudo, devem ser usadas em situações diferentes. A expressão para eu deverá ser usada quando assume a função de sujeito. A expressão para mim deverá ser usada quando assume a função de objeto indireto. 
Ex.:
Veja se tem algum erro para eu corrigir.
Para eu fazer isso, vou precisar da tua ajuda.
Você comprou este caderno para mim?
Esse pijama é para mim e não para minha irmã.

JOGO RÁPIDO EDIÇÃO 112 - ANO V NOVEMBRO DE 2015

Decifre a Charada:


E Aí? Você sabe a resposta?

Está foi fácil :)

VÊNUS